Featured Video Play Icon

Um Curta Metragem Sensível e Apaixonante: Sentimentário.

Babu não se conforma que sua flor preferida, o Manacá, seja descrita no dicionário de forma tão fria e sem graça. “Por que não escrevem a verdade? Que é uma flor linda, roxa, que vai ficando lilás e depois branca e espalha um perfume forte.” O que acontece a partir dessa frustração está neste curta baseado no conto “Palavras, perfumes e sentimentos” da escritora Marina Miyazaki. Sentimentário é para adultos que querem aproveitar a vida direito.

Continue reading »

O valor dos contos de fadas e a importância de contar histórias.

As imagens nos contos de fadas é o foco deste artigo de Jorge Benito. “Como as imagens desempenham um papel tão importante no desenvolvimento de meninas e meninos, torná-las adequadas ao que precisam é uma tarefa que os contadores de histórias aperfeiçoaram (…) O conto de fadas contém imagens que respondem às preocupações atuais de seus corpos físicos, seus humores e sua essência espiritual.”

Continue reading »

A revolução da escuta em tempos de ensurdecimento

“Escutar é aventurar-se num oceano desconhecido.” Em entrevista para o site HUFFPOST, o psicanalista Christian Dunker e o educador Cláudio Thebas, autores de “O palhaço e o psicanalista – Como escutar os outros pode transformar vidas”, falam sobre as dificuldades e urgência em escutar a si e ao outro. Humor, silêncio, vazio, são quesitos necessários nesta aventura, na qual, mais uma vez, o estado criança é o norte.

Continue reading »
Featured Video Play Icon

A cultura coloca o ser humano em contato consigo mesmo

Nesta entrevista para o “Aprendemos Juntos”, projeto de educação do BBVA, em colaboração com El País e Santillana, do ator Rafael Álvarez, conhecido como El Brujo, temos mais uma dimensão sobre os instrumentos que facilitam o encontro consigo mesmo, bússolas para inventarmos a vida, em tempos
difíceis. “Se a sua vibração interna é poderosa, se desfruta do que faz como uma criança quando brinca, o público acaba preso. Porque todos queremos ser crianças, e aproveitar, aproveitar. Esse é o estado super criativo.”

Continue reading »

Brincar não é coisa de criança. Brincar é também coisa de gente grande

Brincar é a experiência libertadora de encontro consigo mesmo em todas as idades, na qual atingimos a potência máxima da capacidade de nos transformamos; e nada tem a ver com atividades lúdicas, brinquedos, parques de diversões. “Brincar requer disponibilidade de estar à deriva, sem intenção nenhuma de chegar a algum lugar ou atingir alguma meta”, diz Eliana Louvison.

Continue reading »
Featured Video Play Icon

68 vozes, 68 corações – “Ninguém pode amar o que não conhece”

Era uma vez uma mexicana, Gabriela Badillo, que inconformada com a iminente morte das línguas dos diferentes grupos étnicos que constituem seu povo, decidiu compilar suas lendas e recontá-las em animações narradas na língua de cada grupo, convencida de que tornando-as conhecidas, todos se apropriariam delas. O CPD, que é um defensor de narrativas, traz algumas destas animações. É de amar!

Continue reading »