A revolução da escuta em tempos de ensurdecimento

Muralha que bomba não derruba, o humor acha a fresta. O humor sempre foi e sempre será este instrumento social de desestruturar, de revelar, descortinar. A mesma criança que nos subtrai da hipocrisia ao apontar para o rei, dizendo que ele está nu, também pode apontar pra dentro de nós para que aceitemos o fato de sermos ridículos e imperfeitos. Esta criança, que está dentro de cada um de nós, está pedindo espaço pra nos ajudar a ver o mundo com a perplexidade que perdemos. Quando rimos de nós mesmos, nos libertamos e autorizamos que o outro também se liberte rindo de si. LEIA AQUI

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *